sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Foo Fighters: uma trajetória premiada que ainda pulsa!

Quem me conhece sabe que a banda que encabeça o post de hoje é a minha queridinha de todos os tempos. Se os fãs andavam meio cabisbaixos com o hiato deles anunciado em setembro deste ano (a exemplo do que a Mônis já escreveu aqui no blog), agora podem voltar a se animar com uma aparição dos caras, prevista para o próximo mês! E as esperanças se renovam, hell yeah.

The fuckin' heart's still alive: alguém duvida?

É isso mesmo: o Foo Fighters foi confirmado como atração do primeiro Grammy Nominations Concert Live, que acontecerá dia 3 de dezembro no Nokia Theatre em Los Angeles. [Eu aterrisso na Califórnia na mesmíssima data, minha gente! Infelizmente, meus afazeres de escrava latina subjugada não me permitirão nem ao menos chegar na porta do recinto pra sentir o calor emanado por Dave Grohl e sua trupe. Mas, Dave, você ainda não me escapa, querido: one way or another, I'm gonna find ya, I'm gonna getcha getcha getcha!]

Bom, assanhamentos obsessivos à parte, o bacana é que a nomeação dos indicados (transmitida ao vivo, este ano!) coincide com a inauguração do Museu do Grammy, que ao longo da primeira semana do mês despertará diversas comemorações pela história da música. O local conta com 2.970 m² de área e 4 andares que vão abrigar exposições permanentes e temporárias, contemplando o rock, hip-hop, country, clássico, música latina, R&B e jazz. Mais um ponto de visitação imperdível em L.A (ficadica, Taynã!).

Voltando ao Foo Fighters, é incrível como a performance da banda sempre é extremamente requisitada em premiações musicais de grande porte. Basta lembrar do próprio Grammy Awards de 2008, que, na edição comemorativa de seus 50 anos, emocionou com a belíssima apresentação do Foo Fighters junto com uma orquestra, no quadro My Grammy Moment.

Pra qualquer um ficar boquiaberto.

Isso sem falar no EMA’s de 2007, em que Dave Grohl foi convidado para comandar diversas entrevistas direto de um bar montado na área VIP do evento, como host secundário. O rapaz se destacou mais do que a hostess oficial (Avril Lavigne, que afronta!) e arrancou boas risadas da platéia com sua embriaguez evidente.

Quanto aos prêmios, difícil a banda voltar para casa com as mãos abanando. Além do Grammy de Melhor Álbum de Rock deste ano, o FF também levou Melhor Grupo Internacional e Melhor Album Internacional por “Echoes Silence Patience Grace” no BritAwards. O mais recente foi a estatueta de Banda do Ano (disputada com – pasmem!- o Led Zeppelin) no “Classic Rock Awards”, que rolou no início deste mês em Londres.

Atualmente, eles também concorrem o AMA’s na categoria de Melhor Artista de Rock Alternativo, duelando com Coldplay e Linkin Park. O resultado vai ao ar neste domingo (23) pela rede ABC, nos EUA.

Dá-lhe torcida, que, aliás, se estende para a carreira da banda como um todo. Que venha um novo CD, muitos outros prêmios e, [faz favor, né], um show no Brasil! Facilita aí, Davezinho.

Can't you hear my motored heart? You're the one that started it.

3 Told us something new!:

Monique disse...

Ahhh!
Essa apresentação deles no Grammy ficou pra história. AMAY o John Paul Jones regendo a orquestra, mágico, mágico, mágico!

Amay o post, Gabee! Saudades de você, tá?

Ana C. disse...

fã maníaca DETECTED.

ai, tô perdida. quase não ouço foo fighters. :S
*herege*

pra falar a verdade, nessa coisa de ouvir, eu prefiro mesmo é o led zepellin. HUAUHAUHAUHAHUA

Henrique disse...

*Fã Maníaca Detected* com certeza!

Mas não é por menos né Gabi? Não é todo front-man de banda que já tocou bateria no Nirvana e no Queens. O cara é bruto demais!

Eu já assisti essa tal apresentação do Grammy umas 88 vezes, e não me canso jamais. Na verdade, 'The Pretender' é umas das minhas músicas favoritas com certeza, e fico feliz que os caras tão voltando a dar o ar da graça também. Tomara que você dê a sorte de velos ao vivo e, quem sabe, conhecê-los (traga um autógrafo pra mim hahahah)

Ta bem legal o blog de vocês, virei frequentador ^^
;*** *** ***