quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Meu doce vampiro...

Nessa onda de reinventar, da máxima “nada se cria, tudo se [copia] transforma”, a onda agora é divagar sobre os mistérios da vida obscura dos vampiros. Pelo menos, na mídia.Nossa querida Claudinha Ohana - AKA mulher-amazônia – já antecipou tendência anos atrás e o que ainda vemos hoje é vampiro pra tudo que é lado.


Acho tendência!

Amanhã, nos EUA e no dia 19 de dezembro estréia no Brasil o filme Crepúsculo, adaptação do best-seller de Stephenie Meyer (entrevista com ela, aqui), que vendeu milhões de exemplares no mundo todo e já virou febre no Brasil. Na mídia americana de entretenimento não se fala em outra coisa. Os atores Kristen Stewart e Robert Pattinson, que interpretam os protagonistas Isabella Swan e Edward Cullen, saíram em duas versões simultâneas da capa da revista Entertainment Weekly, além de outras edições. Nos famosos programas de apresentadores a la Ellen DeGeneres, já deram inúmeras entrevistas. Além do constante acompanhamento do cotidiano que nós adoramos, proporcionados por sites como JustJared e afins.

Esse mistério vampiresco habita e seduz as fantasias dos produtores de tevê e filmes há muito tempo. No cinema, a moda vamp não é novidade, claro. Filmes como Entrevista com o Vampiro (com os zuper zéczis Brad Pitt e Tom Cruise), Drácula e suas versões, Buffy (além da série), Blade e Van Helsing são somente alguns dos roteiros que já inventaram de tudo pra encaixar os vampiros no meio. Confira o ranking dos 70 melhores filmes de vampiro já produzidos, feito pelo Snarkerati.com.

Brad Pitt com carinha de "mais fundo, mais fundo"

As séries de TV também exploram os dentinhos afiados, com força. Além de Buffy e Angel, há a fresca True Blood, atualmente sucesso absoluto na tevê americana e também baseado numa série de livros, escritos por Charlaine Harris. No Brasil, a HBO promete a primeira temporada para janeiro do ano que vem. Mais informações sobre a série aqui.


Ação, romance, tensão, tudo empacotadinho!

Apesar dos Heroes, Mutantes e super-heróis, o fato é que os vampiros continuam em voga nas produções culturais audiovisuais. A imortalidade travestida em um corpo jovem, a sede de sangue e a inevitável sensualidade sempre colocam os vampiros frente a frente com os inocentes mortais. Em Crepúsculo, a teenager Isabella se apaixona pelo vampiro Edward e resolve assumir o romance. A inevitável dúvida de ser mordida pelo amado, os conflitos com a sociedade e com a família fazem parte da trama que envolve boas doses de terror e suspense. Já True Blood também apresenta um casal semelhante, com o enredo contendo boas doses de humor. Haja sangue.


Vai uma mordidinha aí?

3 Told us something new!:

Augusto Eduardo disse...

aja estaca de madeira, bala de prata, alho, e crucifixo!!!

Ana C. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana C. disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


confesso que de tudo o que você falou eu prestei mais atenção na referência da mulher-lobisomem, vulga 'Cláudia Ohana'.
HUAUHAHUHUA

não gosto muito desse lance vampiresco... mas MIACABAVA com VAMP!

:)